quinta-feira, 31 de julho de 2008

O Google é BURRO!

O GOOGLE É BURRO! VOCÊ ACHA ISSO MESMO?

É isso mesmo!

É assim que imagino quando assisto palestras de ilustres pesquisadores e ou profissionais, sejam de quais áreas forem: tecnológica, humana e etc, etc, etc, ridicularizando o motor de busca mais utilizado de todos os tempos. No mínimo deve ter alguma coisa errada com o Google ou com o palestrante.

CARACTERÍSTICAS DO GOOGLE:

Na postagem COM O QUE BUSCAR? de 23/fev/2008, disserto sobre algumas características do Google que o tornam melhor no que faz, e que incomoda muita gente, claro, como um elefante incomoda muita gente, dois elefantes incomodam incomodam muito mais, três elefantes... etc, etc, etc.

O GOOGLE SÓ TRAZ LIXO!

Em outra postagem, OK ESTÁ CONTIDO de 18/jul/2008, também contra-argumento sobre a fala de um palestrante que disse ser o Google um motor de busca que traz ao usuário um monte de lixo.

Bem, como esclareço neste blog, aqui no início da página, no lado esquerdo: NÃO TENHO NENHUMA RELAÇÃO COMERCI-AL, PESSO-AL, PROFISSION-AL, E QUALQUER OUTRA RELAÇÃO -AL COM O GOOGLE.

O GOOGLE POSSUI A MAIOR BASE DE DADOS DE ÍNDICE DE DADOS DA INTERNET!

Tenho convicção que todos os motores de busca são, em sua contextualização atual, neste momento que posto esta mensagem a quem a lê, todos são BASICAMENTE os mesmos. Mas tem duas coisinhas que diferem o Google dos demais: sua fórmula de classificação e a robustez de sua base de dados (ultrapassa 8 bilhões de páginas, crescendo sempre). [Atualização: Hoje (31 de agosto de 2010, o Google já indexou mais de 1% da internet. Estima-se que o índice está em 1 trilhão de páginas indexadas pela Google.]

Mas, por que falo novamente sobre isso? Por que nas minhas "palestra'nças" (andanças em palestras) ouço de vez em quando um tecnocrata de qualquer área de conhecimento humano falando de forma pejorativa do Google, claro. E se outro motor de busca estivesse em evidência seria esse outro o motor de busca mal falado.


AINDA ESTÃO TENTANDO REUNIR PESQUISADORES PRA MARCAR UMA DATA PARA DECIDIREM...! ( QUEM QUANDO ONDE ????)


Estava numa dessas palestras quando o tecnocrata explicava sobre a tentativa de seu grupo profissional do conhecimento estar ainda discutindo uma forma de definir diretrizes para o desenvolvimento de um motor de busca inteligente.

Perceberam? Vou repetir: Ainda está tentando agrupar profissionais para definir uma diretriz para o desenvolvimento de um motor de busca inteligente nacional, brasileiro.

O GOOGLE NÃO É BUSCADOR DE REPOSITÓRIO CIENTÍFICO

Por que? Por que o Google, mais uma vez o Google, só traz lixo e é um motor de busca burro. Na palestra este tecnocrata expunha sobre repositórios de conteúdo científico. Ora ora ora, nunca o Google teve a pretensão de ser um motor de busca de conteúdo científico, e é por isso mesmo que, na tentativa de subsidiar a área acadêmica, criou o Google Acadêmico, para que sua busca fosse mais específica nesta área.

O GOOGLE É UM INDEXADOR/BUSCADOR DE CONTEÚDO WEB

Bom, falei sobre a especificidade ou a especialidade do motor de busca. Mas ele também foi infeliz quando quiz comparar o Google a um motor de busca de conteúdo científico. Por que? Por que o Google não é um motor de busca de conteúdo, o científico já descartamos no parágrafo anterior. Então o Google é um motor de busca de quê? De páginas e conteúdo web. SIMPLES.

A BASE DE ÍNDICE DO GOOGLE JAMAIS DEVE SER COMPARADA COM UMA BASE RESTRITA, DE CONTEÚDO ESPECÍFICO

Mas também foi infeliz quando quiz comparar o reultado de uma busca em motor de busca de conteúdo científico com o resultado de uma busca do Google, onde traz bilhões de lixo. Ou seja, o Google tem uma base de dados que é a maior de todos os buscadores, logo a quantidade de lixo é maior.

Se não, façamos uma comparação: Onde é maior a probalididade de morte por dia? No Brasil ou na China? Percebem? Onde é maior a quantidade de resultados descartáveis? No Google ou na CAPES?

Aproveitando o ensejo, gostaria de fazer algumas considerações sobre coisinhas que acho fundamentais. Se é verdade que quanto mais se estuda mais se chega a conclusão de que se é ignorante (burro não, ignorante), então por que geralmente as pessoas que demonstram saber mais que os outros (doutores, PhD's, etc...) são tão vaidosos e orgulhosos do seu "saber"? Vivemos um momento da existência humana em que tudo se pode saber, logo se nós nos envaidecermos e orgulharmos do nosso "saber", nos colocamos em perigo do ridículo.

NUCA FOMOS TÃO INTENSAMENTE ESTIMULADOS: IMAGENS, FORMAS, CORES, ÁUDIOS, MOVIMENTOS, CONHECIMENTO, CONTEÚDO. O GOOGLE FACILITOU ISSO

Há uma frase célebre de uma das maiores inteligências humanas humildes, Carl Sagan, que diz:

De fato, a época mais excitante, satisfatória e estimulante para se estar vivo é justamente aquela em que se passa da ignorância ao conhecimento desses assuntos fundamentais; a época em que se começa na imaginação e se termina no entendimento. Em todos os 4 bilhões de anos da história da vida em nosso planeta, e nos 4 milhões de anos de história da família humana, só a uma geração cabe o privilégio de viver este momento único de transição: essa geração é a nossa.

Esse legado é de todos nós seres humanos e a todas as vidas que com ele compartilham a existência na terra. Não podemos nos diferenciar pelo conhecimento, ou pela raça, ou pela cor, ou pela religião, ou pelo gênero, ou pelo sexo. Fazer isso é assumir a nossa total burrice.

Albert Einstein disse uma vez que conhecimento sem ação é mera informação. Ou seja, traduzindo: não adianta estudar, estudar, estudar, mestrado, Phd, Doutorado, etc... se desse esforço não se tem nenhum fruto que se reverta para o bem da humanidade, e não para a estúpida satisfação de nosso próprio orgulho e vaidade.

FALTAM AO POVO BRASILEIRO: ESTÍMULO AO ESTUDO, INVESTIMENTOS, CAPITAL DE RISCO, PROJETISTAS, CONSTRUTORES, EXECUTORES E CONSUMIDORES DE CONHECIMENTO.

É preciso ousar, é preciso sentirmos vergonha de nós mesmos, por estarmos a margem de tão grandiosa transformação, utilizando a emergente necessidade de envolver a todos nesse processo em uma forma mercatil, como tem sido desde os nobres feudais ou senhores de escravos. Eventualmente estão criando novos modismos de aprendizado para vender soluções de qualificação, competitividade e capacidade profissional, como se isso fosse algo quase inatingível, como se a ignorância que graça na sociedade não fosse culpa desses mesmos mercadores de soluções modistas. Ainda aguardo o momento em que todas as discussões feitas no topo da pirâmide social possam realmente atingir a base.

É PRECISO REVOLUCIONAR: ESTAMOS ATRASADOS.

Imaginem um professor universitário que não seja referenciado nenhuma vez por aluno algum seu? Significa que ele não gerou frutos. E hoje temos uma leva de alunos que pouco se interessam por pesquisar, estudar e saber, mas tudo tem sua causa e várias são as causas para esse despreparo dos alunos, dentre elas a "ausência" de professores qualificados para ensinar. Seria preciso uma nova revolução educacional, como a proposta pelo filme "Sociedade dos poetas mortos", para que saiamos de nossas "cavernas", tanto os ignorantes quanto os tecnocratas.

O ensino de há 100 anos atrás até hoje, veja o vídeo.

Por hoje é só, vou para o seminário que estou participando, como estudante.