quarta-feira, 1 de abril de 2009

O Homem cibernético.



ROBÔ OBEDIENTE:

Com a notícia veiculada em todas as formas de mídia no dia de ontem, 31/03/2009, nós não poderíamos nos furtar de fazer o nosso comentário e nossas considerações sobre o assunto. Trata-se da nova empreitada dos cientistas em fazerem robôs repetirem movimentos. Hoje o robô já começa a obedecer não a um comando de voz ou a repetir movimentos. Os robôs começam a ser obedientes através de comandos cerebrais.







O HOMEM DE 6 MILHÕES DE DÓLARES:

Nem podemos dizer que a notícia caiu como uma bomba, por que isto já vem acontecendo há muito tempo, refletindo-se principalmente na televisão; ultimamente com O Exterminador do Futuro, mas em 1974 já havia um seriado chamado O Homem de Seis Milhões de Dólares. Podemos também encontrar muitos outros, como: Star Treck, Star Wars, e outros.

Há muito que o homem tem sonhado em um dia se tornar "criador", deixando de ser um mero coadjuvante para ter o papel principal, na responsabilidade de criar uma nova sociedade, mais uma nova forma de vida e de viver. Aliás, essa idéia é velha, desde quando os nativos de terras longínquas criaram os totens, ou os simples plantadores de cultivo de grãos e vegetais, quando criaram os espantalhos. Aquelas frágeis armações de madeira nas praias, em período de guerra, imitando soldados, ou a nossa velha história de Frankenstein.



ESCLARENCENDO OS TERMOS:

A Ciência quer e pode ir mais além. Quer criar máquinas-Homens. Um artefato mecânico autônomo, autômato... um cyborg. Não, não, não. Vamos esclarecer os termos.

Robô: um dispositivo, ou grupo de dispositivos, eletromecânicos ou biomecânicos capazes realizar trabalhos de maneira autônoma, pré-programada, ou através de controle humano.

Cyborg:um organismo dotado de partes orgânicas e mecânicas, geralmente com a finalidade de melhorar suas capacidades utilizando tecnologia artificial.

Robótica: ramo da tecnologia que engloba mecânica, eletrônica e computação, que atualmente trata de sistemas compostos por máquinas e partes mecânicas automáticas e controladas por circuitos integrados, tornando sistemas mecânicos motorizados, controlados manualmente ou automaticamente por circuitos elétricos.

Autômato:um reconhecedor de uma determinada linguagem e serve para modelar uma máquina ou, se quiserem, um computador simples.

Andróide:robôs com aparência humana.

Cibernética: Estudo das funções humanas de controle e da possibilidade da sua substituição por sistemas mecânicos e elétricos.


ENSINANDO OS ROBÔS A PENSAREM:

Os conceitos são a parte mais fácil de entender em tudo o que desejamos escrever hoje. Isso podemos deixar ao encargo do próprio leitor. Mas o que gostaríamos de "falar" é justamente sobre essa "viagem" que estamos começando a fazer. Uma viagem que nos vai fazer re-pensar toda a nossa forma de agir, até por que vamos precisar ensinar os robôs a pensarem. Deverá ser da forma que pensamos, seguindo regras de ética e de comportamento coletivo, individual, social etc.









Futuramente cyborgs para em sequida serem robôs autônomos em pensamento e ação. Mas o grande passo dado foi que, agora, a ciência começa a interpretar as emissões de ondas cerebrais. Isso é o ponto mais importante de tudo que vem acontecendo. Como foi com o Projeto Genôma, agora vai ser com o mapeamento das ondas cerebrais, na tentativa de encontrar os padrões dessas emissões.



A ERA DAS MÁQUINAS ESPIRITUAIS:

A nossa intenção nesse post de hoje é também sugerir um livro interessantíssimo sobre o assunto. Trata-se de A ERA DAS MÁQUINAS ESPIRITUAIS, de Ray Kurzweil, um grande cientista estudioso da Inteligência Artificial. O livro nos revela que num futuro próximo, em 2070 mais ou menos, essas máquinas-homens poderão ser de tudo um pouco para a humanidade. Desde feitores de bens de consumo, vigilantes de nossa segurança pessoal, disseminadores de conhecimento e até mesmo amantes. Maravilhoso tudo isso, não é mesmo?

O livro - O escritor - O site (inglês) - Outros livros.




RAY KURZWEIL:


Mas parando um pouco pra pensar sobre tudo isso, concluímos que quem sabe agora, com a concorrência das máquinas o homem não muda um pouco o seu jeito estúpido de ser. Afinal de contas sempre ouvimos falar que o homem é um ser supremo, dotado de inteligência que o fez ser único no mundo e até do universo, qwue o faz herdeiro do reino de Deus.

Ledo engano, como pode termos esse privilégio se matamos nossos semelhantes, matamos nossos companheiros animais, matamos nossa mãe natureza. Nos degladiamos, sangramos nossa própria carne, roubamos, enganamos, traímos, humilhamos, discriminamos, etc.



Para refletirmos sobre nossos atos é que reproduzimos um trecho do livro: Pálido Ponto Azul de Carl Sagan. Num momento em que uma sonda espacial, Voyager, rumava para fora dos campos de ação do sistema solar, na NASA, Carl Sagan pede aos seus colegas cientistas que façama sonda girar 180º e mire para a terra, tirando uma foto. Um ponto azul poseria ser visto no meio de uma imensidão de luzes, planetas e outros objetos espaciais. Emocionado com a visão e escreve sobre a terra.

No YOUTUBE podemos ver o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=HurA3M_CBJY

“...Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali, num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto..."

"...Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos.”

Incrivelmente emocionante, mas uma realidade aterradora.

Enquanto um futuro ainda incerto nos ronda a existência, nós humanos festejamos diariamente nossa própria ignorância, na ganância e no egoísmo.

Abraços,
_____________________________________________

REFERÊNCIAS:

Há centenas de milhares de notícias sobre o assunto, é só buscar que você acha:

Macacos controlando braços mecânicos pelo pensamento.

Mãos robóticas que obedecem a comandos do pensamento.

Há um artigo interessante sobre o escritor cientista num grupo do Google.

Previsões do livro “A Era das Máquinas Espirituais”(1999):

2019
================================================================
Um computador de 1 mil dólares (em valores de 1999) tem agora aproximadamente igual poder computacional ao do cérebro humano.

Computadores são agora essencialmente invisíveis e estão embutidos em todas as partes- paredes, mesas, cadeiras, roupas, jóias e nos corpos.

Realidade virtual em três-dimensões aparece embutida em óculos e lentes de contatos, e também em dispositivos de audição, e são rotineiramente usadas como interface para comunicação, cursos, navegação na web e realidade virtual.

Robôs que executam tarefas caseiras são confiáveis e bastante comuns na maioria dos lares.

Maior parte da interação com a computação se dá através de gestos ediálogo. Fica cada vez mais parecido como interagir com outra pessoa.

Cabos conectando computadores e periféricos não mais existem.

Discos rígidos foram aposentados.

Máquinas de nano-engenharia (bilionésimo de metro) estão começando a ser usadas em aplicações de manufatura e em controle de processos.

Redes neurais maciçamente paralelas (rede neural construída a partir de muitas unidades de processamento paralelo) e algoritmos genéticos (um modelo de aprendizado da máquina que imita mecanismos de evolução da natureza) são largamente usados para controlar investimentos,
tráfegos de informação, veículos, etc.

Scan invasivos e não-invasivos do cérebro tem permitido aos cientistas entender muito melhor o cérebro. Algoritmos baseados no funcionamento do cérebro estão sendo transferidos para redes neurais de computadores.

Câmeras do tamanho de uma cabeça de alfinete estão em todos os lugares.

Realidade virtual de alta-definição em 3-D em ambientes de imersão total (sensível ao toque) torna possível fazer qualquer coisa com outra pessoa, a despeito da distância física.

Livros em brochura são pouco usados e a maior parte do aprendizado é feito por softwares inteligentes de professores simulados.

Pessoas com deficiência visual usam óculos especiais que interpretam o mundo para eles através da fala.

Pessoas com deficiência auditiva lêem o que outras pessoas dizem através da tela de suas lentes de contato.

Aparelhos tradutores em tempo real são de qualidade muito melhorada e são usadas rotineiramente,

Pessoas paraplégicas e tetraplégicas rotineiramente andam e sobem escadas com ajuda de estimulação nervosa controlada por computador e dispositivos robóticos conectados aos membros.

A grande maioria das transações comerciais ou serviços de informação são feitas por uma pessoa simulada.

Sistemas de direção automático (estradas inteligentes) são comuns em
muitas estradas. Na verdade, computadores geralmente conduzem os
veículos. Humanos não podem dirigir sem assistência em certos lugares.

Pessoas estão começando a ter relacionamentos com personalidades autômatas e as usam como companheiras, professores, enfermeiras e amantes.

Dispositivos provocam sensações na pele dos usuários (peças de roupa, luvas, etc) e são frequentemente usados na realidade virtual para completar a experiência. “Sexo virtual” torna-se uma realidade mais convincente, com parceiros simulados ou com humanos.

Tecnologia háptica (sensação tácteis) tornam-se maduras e completamente convincentes, mas dependem de ambientes virtuais. Com ela é possível fazer exames médicos á distância e são usadas também para tornar a experiência de sexo remoto mais realistas.

Artistas virtuais, em seu próprio nome, estão emergindo em todas as artes.

Necessidades básicas das classes pobres são atendidas (não necessariamente em todos os países)

Internet banda-larga sem fio está disponível em praticamente em todos os lugares.

Existem relatos espalhados em todos os lugares de computadores que passam no Teste de Turing, embora esses testes não satisfaçam critérios unânimes entre especialistas.


2029
================================================================
Um computador de 1 mil dólares (em valores de 1999) tem a capacidade de aproximadamente 1.000 cérebros humanos.

Pesquisadores progrediram bastante na compreensão dos segredos do cérebro humano.

Centenas de sub-regiões cerebrais com funções especializadas foram identificadas, e tal conhecimento é transmitido para redes neurais de computação.

Implantes permanentes ou removíveis para os olhos e implantes auriculares são usados para se plugar na rede mundial de computadores, tornando absoletos óculos e head-fones anteriormente usadas para RV.

Os implantes podem gravar tudo que usuário vê ou escuta.

Ligações neurais diretas são aperfeiçoadas para conexão banda-larga com o cérebro humano.

Uma variedade de implantes neurais está disponível para melhorar e aumentar a percepção e interpretação visual e auditiva, memória e raciocínio.

Máquinas estão agora aprendendo por conta própria, e significativo conhecimento está sendo criado pelas máquinas com nenhuma ou pouca intervenção humana.

Computadores escaneiam todo o enorme conteúdo da Internet e aprendem todo conhecimento que já foi gerado por humanos e pelas máquinas.

Existe já um uso difundido de imersão total em ricos ambientes virtuais sensíveis ao toque usando conexão neural direta, permitindo o uso da realidade virtual sem necessidade de usar apetrechos externos.

A maioria das telecomunicações é feita sem envolver um humano.

Quase não existem empregados humanos na produção, agricultura ou transportes gerais.(pelo menos nos países do primeiro mundo)

Necessidades vitais básicas (água, comida, esgoto, moradia, educação) estão disponíveis para a quase totalidade da raça humana.

Cresce a discussão sobre direitos legais dos computadores e o que exatamente define o que é ser “humano”.

Apesar do computadores rotineiramente passarem por todas as formas do teste de Turing, ainda existe controvérsias se as máquinas igualam a inteligência humana em todas as suas diversas manifestações.

Máquinas alegam serem conscientes. Essas alegações são geralmente aceitas pela maioria das pessoas.

Engenharia reversa do cérebro é concluída e todos os aspectos do cérebro são compreendidos.

Inteligência não-biológica combina a sutileza e padrões da inteligência humana com a velocidade, memória e a capacidade de compartilhar conhecimento das máquinas.

Inteligência não-biológica continua a crescer exponencialmente enquanto a inteligência biológica fica relativamente estável.

2049
===================================================
O uso comum de alimentos nano-produzidos, que tem a correta composição nutricional e melhor sabor e textura que os alimentos organicamente produzidos, tornam a comida universalmente disponível, e a produção de alimentos não é mais afetada por fatores naturais como secas, enchentes, etc. (uma conseqüência disso é que o consumo de carne não exige mais a matança de animais nos países desenvolvidos).

Nano-robôs se aglomeram em enxames para criar projeções audio-visuais tangíveis de todos os tipos de objetos físicos no que será chamado de “realidade real” (real reality).


2072
============================================================
A Pico-engenharia (trilionésimo de metro) tornar-se viável.


2099
============================================================
Existe uma forte tendência de fundir a mente humana com o mundo de maquinas inteligentes que a espécie humana iniciou.

O processo de pensamento humano não possui nenhuma vantagem sobre a mente dos computadores.

Máquinas obtêm status legal igual aos humanos.

Humanos e máquinas se mesclam juntos nos reinos físicos e mentais.

Implantes cibernéticos no cérebro possibilitam a humanos fundir suas mentes com I.A.s.

Em consequência, não existe mais distinção clara entre humanos e máquinas.

Maior parte dos seres conscientes não possuem forma física permanente.

O mundo está superpovoado por I.A.s que existem somente como programas inteligentes de computador capazes de se locomover instantaneamente de um computador para outra através da Internet (ou equivalente dela no ano 2099). Essas entidades inteligentes podem se manifestar
tangivelmente no mundo físico através de corpos robóticos (provavelmente formado por bilhões de nano-robôs), e podem controlar múltiplos corpos simultaneamente.

Seres individuais se fundem e se separam constantemente, tornando impossível calcular quantos indivíduos existem na Terra.

Essa nova plasticidade da consciência e a habilidade dos seres unirem suas mentes altera seriamente a noção de self-identidade.

A maioria das interações interpessoais ocorre em ambientes virtuais.

Encontrar de fato duas pessoas transacionando no mundo real físico sem interferência de tecnologia é muito raro.

Seres humanos orgânicos são uma pequena minoria na população da Terra.

Mesmo entre os homo sapiens remanescente, o uso de implantes computadorizados que aumentam drasticamente suas habilidades naturais é visto como normal. A pequena fração de humanos que optou por permanecer “natural” (sem modificações) existem num plano de consciência diferente de todos os outros, e não conseguem interagir plenamente como os I.A.s e humanos altamente modificados.

Humanos naturais são protegidos da extinção. Apesar da fragilidade e fraquezas, os humanos são respeitados pelas I.A.s por terem dado origem às máquinas.

Uma vez que conhecimentos e habilidades podem ser instantaneamente feitos por “download” pelos seres inteligentes, o processo de aprendizado é comprimido em questão de segundos, em vez dos anos árduos normalmente exigidos pela experiência humana. Livres desse dispêndio enorme de tempo, os I.A.s podem direcionar sua energia na busca de novas descobertas e conhecimentos originais.

I.A.s são capazes de dividir sua atenção e energia numa multitude de direções, permitindo que eles se empenhem em inúmeras tarefas simultaneamente.

A femtoengenharia (engenharia na escala de um milésimo de trilionésimo de metro) pode ser viável.

I.A.s se comunicam em linguagem eletrônica compartilhada.

Trabalhos artísticos e música criada por máquinas englobam freqüências do espectro luminoso e freqüências de som que humanos normais não conseguem perceber.

O dinheiro tem seu valor deflacionado.

Alguns humanos tão velhos quanto a geração do baby-boom (pós-segunda guerra mundial) ainda estão vivos e bem.

Vírus de computador são uma ameaça séria, já que a maioria dos seres inteligentes são baseados em softwares.

I.A.s frequentemente fazem “backup” de si mesmos, garantindo certa imortalidade caso o I.A. original morra de alguma forma.

Expectativa de vida se torna um termo irrelevante para se referir aos humanos e máquinas, graças aos avanços médicos e a computadores avançados.

O ritmo da tecnologia continua se acelerando na virada para o século 22.