quarta-feira, 27 de março de 2013

A MORTE DA INTERNET:


 


Objeto: Livro lançado nos Estados Unidos, ainda sem tradução/lançamento para o Brasil
Publicado por: Instituto para a Engenharia Elétrica e Eletrônica (IEEE), as editoras Wiley e Higher Education Press e a IEEE Computer Society.
Tema: A MORTE DA INTERNET
Autor do Livro: MARKUS JAKOBSSON


 


Usando modelagem contraditório do campo da criptografia, combinado com a modelagem do comportamento humano relacionado, analiso a segurança da vida real aplicações e protocolos de design melhoradas de segurança. Os esforços são muitas vezes destinadas a obter uma melhor compreensão e prevenção de phishing, difusão, pharming malware e fraudes online, mas também lidar com os problemas de incentivo, propaganda, e privacidade. Meu plano de fundo envolve segurança aplicada, design protocolo de criptografia, aspectos teóricos da criptografia, as estruturas de incentivo, a criptografia leve e segurança sem fio. Estou interessado em matéria de propriedade intelectual - e até mesmo gostar de ser deposto!
(Translated by Google Translate)
 

Dr. Markus Jakobsson, (CTO). Cientista Principal da Segurança do Consumidor no PayPal e um dos fundadores do startups segurança RavenWhite e Fatskunk. Anteriormente, ele ocupou posições como principal cientista na Xerox PARC, Professor Associado da Universidade de Indiana, Professor Adjunto Associado na Universidade de Nova York, Cientista Principal da RSA Security e membro da Equipe Técnica na Bell Labs. Ele é um pesquisador visitante do Grupo de Trabalho Anti-Phishing, e atua nos conselhos consultivos técnicos de Cellfony e Lifelock. Sua pesquisa está focada no desenvolvimento sócio-técnico fraude, ele tem contribuído para o conhecimento de crimeware, phishing e eficientes protocolos criptográficos, e atualmente está concentrando seus esforços em malware móvel. Ele é um editor / autor de "Phishing e Contramedidas" (Wiley, 2006), "crimeware: Compreendendo novos ataques e defesas" (Symantec Press, 2008) e "The Death of the Internet" (Wiley, próxima em 2012) Ele recebeu seu PhD em ciência da computação pela Universidade da Califórnia, em San Diego em 1997.

Causas: segundo o autor do livro, dentre muitos fatores que podem levar a internet ao colapso, os mais abrangentes são os ataques cibernéticos, a fraude, os phishings, os cavalos-de-troia, ou, em uma única palavra, os malwares. Esses problemas crescem de forma exponencial em escala mundial, de forma impressionante e assustadora. Só o número de phishings cresceu 59% no mundo em 2012. O crescimentos dos vírus ultrapassa 100%.

O autor, tem argumentos sólidos para defender sua tese.

“Até aqui, o mal está vencendo a guerra”
( vice-presidente da Unisys, John Frymier)

Os bancos não falam sobre os ataques cada vez mais frequentes que sofrem de cibercriminosos, inclusive no Brasil, porque isso pode minar a confiança de seus clientes.

Google, Facebook, Microsoft ou Cisco – dificilmente se dispõem a analisar objetivamente os riscos que ameaçam os bilhões de usuários da internet

Existe até uma analogia com o transporte aéreo: poucos, em sã consciência, aceitariam fazer viagens aéreas se o número de atrasos crescessem a níveis muito mais elevados e, pior do que isso, se o risco de acidentes graves subisse para níveis preocupantes.







































Caso queira dar uma provada no assunto, basta acessar o livro no Google Books e ter uma ideia sobre o livro. Constam mais de 40 páginas do conteúdo totalmente liberadas para uma prévia:

Creio que seja um assunto muito interessante para os Analistas de TI, os Futurólogos e alguns altos especialistas da área de tecnologia da segurança da informação. Portanto, aí vai o link da Amazon que colocou a venda o livro:

Veja também alguns livros que tem relação com o tema no Google Books:

NOSSOS SISTEMAS DE PROTEÇÃO PARECEM BRINCADEIRA PROS CYBERCRIMINOSOS:

Os sistemas considerados mais eficazes de identificação on-line, ou de confirmação e comprovação de dados para checar realmente que o usuário é quem diz ser estão totalmente defasados e os cybercriminosos os devassam com a mesma facilidade comq eu se pode tirar um pirulito das mãos de uma criança.

NO BRASIL A FALTA DE SIMPLES POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NOS DEIXA A MERCÊ DOS BANDIDOS:



Criação de endereços virtuais clonados e até mesmo a falta de privacidade dos dados dos usuários. Aqui no Brasil poderíamos falar sobre o caso do SBT Brasil que descobriu, com exclusividade, o esquema de venda de senhas do INFOSEG, o maior banco de dados de Segurança Pública do país. A ferramenta possui informações de milhões de brasileiros, inclusive dos que já estão mortos, e é usada pela polícia para combater o crime, mas parece que o crime organizado é quem está utilizando contra os brasileiros.


Conheça o INFOSEG.

No caso de querer estudar só um pouco mais sobre conexões ativas no computador, basta ler e aprender o assunto nos links abaixo que nos ensinam um dos comandos mais simples que temos sobre monitoramento de redes:





UM POUCO MAIS SOBRE O LIVRO POLÊMICO:

 





Fraude representa uma ameaça significativa para a Internet. 1,5% de todos os anúncios online tenta espalhar malware. Isso diminui a vontade de ver ou lidar com a publicidade, que irá afetar seriamente a estrutura da web e sua viabilidade. Também pode desestabilizar o comércio online. Além disso, a Internet é cada vez mais uma arma para alvos políticos por parte de organizações e governos mal-intencionados. Este livro examinará temas dessa natureza e outras, tais como a segurança na Web baseada em telefonia inteligente. Este livro descreve as ameaças básicas para a Internet (perda de confiança, a perda de receitas de publicidade, a perda de segurança) e como eles estão relacionados. Ele também discute as contramedidas primárias e como implementá-los, onde o próprio usuário comum pode se “proteger”, será mesmo?




Mas antes de mais nada é preciso que saibamos que a evolução dos ataques também encontra os seus inimigos, os defensores da rede, em pleno esforço de poder contê-los. São aos milhares por segundo, mas o time de técnicos estão preparados para combatê-los. A internet está em vias de sofrer uma grande mudança e os seus mantenedores e técnicos estão sempre cuidando para recompor regras de segurança. Talvez ainda seja muito fundamentado no comportamento do usuário final, abordando pouco sobre as técnicas vigentes de proteção de datacenters e servidores.


MINHAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O ASSUNTO:

Sendo bastante rápido, posso dizer que há algum tempo, em função das ações de governo e dos acontecimentos que expuseram a força que se pode ter com o usso da rede na interferência inclusive de formação ou desconstrução de governos, fez pensar que eventualmente, a indústria midiática (filmes, livros, músicas, jornais, etc...) aliadas aos governos estão em vias de criarem uma nova internet, impondo suas próprias regras de produção e consumo de conteúdo...FIM. Qualquer outras considerações abro espaço a quem quiser fazer suas colocações!

Bem, acho que já temos o bastante pra pensar sobre nosso comportamento inseguro.